segunda-feira, 24 de setembro de 2012

Convite - Noite Multicultural abertura dia 4 de outubro


Na exposição Apofenia, as figuras de Canfield são miasmas. Após transitar por intensa fase figurativa, margeando o neo-impressionismo e o neo-expressionismo, buscou trilhar os caminhos de Pollock; desconstruir a pintura (jateando água sobre a tinta fresca); sobrepor materiais num trabalho às vezes lúdico, às vezes sarcástico...transfigurado, chega ao seu inferno particular, onde a apofenia isola figuras, mitológicas ou profanas, grande olho sobre o objeto de estudo. Leonardo contemporâneo, Canfield renega Eros, venera Tanatos...  

A mostra Sacrum Profanum, apresenta objetos, fotografias e esculturas da artista Rosana Bortolin, que fazem alusão às questões voltadas à pós-modernidade, no que diz respeito às buscas de identidade, à discriminação e ao preconceito contra a mulher, à raça, à diáspora, à etnia, à nacionalidade, à religião, à orientação sexual, às relações de poder, e demais abrangências dos conceitos dos Estudos de Gênero. Os trabalhos pertencem à "Série Sagrado Profano" em que são utilizadas imagens e peças moldadas a partir de parte erógena do próprio corpo.
+ Papel, coletiva de artistas do Grupo Rosa dos Ventos, apresenta uma reflexão acerca da materialidade do papel como veículo poético. Buscando dar forma a memórias e relações com esse material as artistas Juliana Crispe, Márcia Sousa, Maria Araujo, Marina Moros, Rosana Bortolin, Sandra Correia Favero, Silvia Carvalho exploram desde as mais íntimas e delicadas lembranças até relações com o outro e com a paisagem.
No Projeto Armazém a proposta não está no valor monetário da obra de arte, mas sim no valor subjetivo da arte. "Armazém é um espaço propositor de relações com a Arte e, por este motivo, tocar, experimentar, levar algo consigo e participar do jogo faz parte desta mostra", avalia Juliana Crispe, curadora da mostra. Artista-professora pensou em obras de arte que criam relações com o público, como livro de artista, publicação de artista, caderno de artista, caderno de desenho, diário de artista, diário de bordo, postais, panfletos, cartazes, fanzines, lambe-lambe, stickers, adesivos, cartões, múltiplos, carimbos e objetos Dentre os participantes encontram-se artistas que vivem e trabalham em Santa Catarina, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.
A "Catequese Poética" foi o movimento de popularização da poesia, liderado por Lindolf Bell, que teve início na década de 60. O projeto visa expor especialmente a parte relativa aos cartazes- exposição iconográfica- que deram vida aos chamados, às convocações, aos conclames feitos do alto dos viadutos, das praças, do interior dos teatros, das boates, das prisões, das escolas e etc. São cartazes feitos artesanalmente, com recortes, colagens e escritas esferográficas que guardam a memória do nascimento do movimento. Foram reproduzidos em 28 painéis e 15 camisetas de acrílico, e se transformaram em uma exposição itinerante que já percorreu várias cidades e vários estabelecimentos.
Apresentação musical:
A Banda Municipal de Blumenau apresentará músicas que fazem parte do repertório da Oktoberfest.
A visitação às exposições poderá ser feita até o dia 24 de outubro, de terça-feira a domingo, das 10 às 16 horas. Visitas mediadas podem ser marcadas pelo telefone 3381 6176. A entrada é gratuita. 


sexta-feira, 21 de setembro de 2012

6ª Primavera dos Museus


Coordenada pelo Ibram, a 6ª Primavera dos Museus tem por objetivo chamar a atenção de museus e sociedade para o debate em torno de assuntos atuais por meio de atividades, como exposições, seminários, oficinas e palestras etc, que acontecem entre os dias 24 e 30 de setembro. Mais de 800 museus e outras instituições culturais têm programação confirmada na temporada.
O tema deste ano "A função Social dos Museus" homenageia os 40 anos da Declaração da Mesa Redonda de Santiago do Chile, realizada em 1972. A partir da assinatura da declaração, os museus passaram a ser entendidos como instituições a serviço da sociedade com importante papel na formação da consciência das comunidades.
A Fundação Cultural de Blumenau através do Museu de Arte de Blumenau, Museu da Família Colonial e Museu de Hábitos e Costumes, dentro da programação de ações previstas para a 6ª. Primavera dos Museus, promoverá:
- Exposição Temporária sobre Máquinas e Fotografias, no Museu da Família Colonial. Visitação até 18 de novembro, das 10 às 16 horas.
- Exposição  O homem e seus objetos de uso, no Museu de Hábitos e Costumes. Visitação até 7 de outubro, das 10 às 16 horas.
- Oficina de Escultura com material alternativo, destinada a artistas, professores, arte-educadores. Ministrada pela artista plástica e escultora Beliria Boni, nos dias 25 e 26 de setembro, das 13  às 17 horas, no Museu de Arte de Blumenau.

- Exposição das obras realizadas na oficina de Escultura com materiais alternativos, nos dias 26 e 27 de setembro, na Fundação Cultural de Blumenau. Curadoria da artista plástica e escultora Beliria Boni

- Uma tarde no museu, promovida pelos Museu de Artes de Blumenau, Museu da Família Colonial e Museu de Hábitos e Costumes, no dia 27 de setembro, das 14 às 16h30. Nessa tarde alunos terão a oportunidade de vivenciar uma tarde no museu,conhecendo o cemitério dos gatos, personagens da história, contando ainda com a apresentação da Banda Municipal de Blumenau.


terça-feira, 11 de setembro de 2012

Exposições do MAB

A Fundação Cultural de Blumenau convida a comunidade para visitar as exposições Retrato, o registro da farsa, de Marcela Tiboni, Cronofotografias do Self, de Lilian Barbon, O Espírito Descoberto, de Edith Spengler, Outra Superfície e Cidade Adormecida, do Projeto Arte Contemporânea do Sesc, e Enchentes de 83/84, 28 anos de história que nunca foram apagados, de Kako Waldrich.
A abertura aconteceu no último dia 6, quando foi lançado o livro O Tridimensional - Dimensões para arte e educação, de Roseli Moreira e o dvd dos 50 anos da Banda Municipal de Blumenau. As exposições ficam abertas à visitação pública até 23 de setembro, com entrada gratuita. O MAB fica na Rua Quinze de Novembro, 161, e o atendimento ao público é de terça-feira a domingo, das 10 às 16 horas.

Na exposição Retrato, o registro da farsa, Marcela Tiboni propõe uma história da arte sem textos, que se lê apenas através de imagens, e que parte da premissa de que as imagens que compõem esta história podem ser todas mentirosas. Desta forma, se apropria de pedaços da história, deslocando-a de seu texto e contexto e recria, inserindo seu corpo/personagem, em uma narrativa ficcional. Os personagens pintados estão em um momento performático? O retrato é o registro de uma farsa? Debruçada nesse pensamento começa a percorrer esse caminho da mentira, criando armas que não atiram, beijos imaginários, páginas de histórias inventadas. Os encontros com a arte, nas obras de Archimboldo, Rubens, da Messina, fazem parte destes diálogos que apenas o campo da arte é capaz de permitir e consolidar. Já que não estão mais em cheque discussões do campo do possível ou do impossível, pois neste território criativo, narrativo e ficcional, qualquer tipo de existência é permitido.

A mostra Cronofotografias do Self apresenta obras da artista plástica Lilian Barbon. Utilizando-se da cronofotografia para estudar o seu próprio movimento interno, de seu Self, Lilian divide-se, multiplica-se e deforma-se para compreender a si mesma. Assim no deslocamento entre a mulher fotógrafa e a mulher fotografada, entre o ser que vê e o ser que é visto, se posiciona o ser humano tentando dilucidar seu lugar no mundo, mundo este cada vez mais de aparências e incertezas.

O Espírito Descoberto. O estúdio de Edith Spengler, 84 anos, é o jardim de sua casa, localizada no bairro Garcia, em Blumenau. Seu equipamento sempre foi uma Kodak Star 635, automática, sem recursos, com mais de 20 anos de uso. Seu trabalho é o resultado de uma essência humana refinada, espiritualizada, apaixonada pela beleza intensa e fugaz dos pores-do-sol. 

Mostra Sesc - Arte Contemporânea, apresenta as exposições: Cidade Adormecida, com obras de Alessandra Klug, Deda Silveira, Fabiano Wurr, Fabrício Schmidt e Guilherme Becker e Outra_Superfície, com obras de Ana Cláudia Lubitz.

Enchentes 83/84 - 28 anos de história que nunca foram apagados, de Kako Waldrich, soma a sua trajetória à experiência de seu pai em fotografias da cidade, para mostrar momentos vivenciados nas enchentes de 83/84.

Assessora de Comunicação: Marilí Martendal


segunda-feira, 3 de setembro de 2012

Noite Multicultural - 6 de setembro - Fundação Cultural de Blumenau



 Na exposição Retrato, o registro da farsa, Marcela Tiboni propõe uma história da arte sem textos, que se lê apenas através de imagens, e que parte da premissa de que as imagens que compõem esta história podem ser todas mentirosas. Desta forma, se apropria de pedaços da história deslocando-a de seu texto e contexto e recria, inserindo seu corpo/personagem, uma narrativa ficcional. Os personagens pintados estão em um momento performático? O retrato é o registro de uma farsa?.

A mostra  Cronofotografias do Self  apresenta obras da artista plástica Lilian Barbon. Utilizando-se da cronofotografia para estudar o seu próprio movimento interno, de seu Self, Lilian divide-se, multiplica-se e deformar-se para compreender a si mesma. Assim no deslocamento entre a mulher fotógrafa e a mulher fotografada, entre o ser que vê e o ser que é visto, se posiciona o ser humano tentando dilucidar seu lugar no mundo, mundo este cada vez mais de aparências e de incertezas.

O Espírito Descoberto. O estúdio de Edith Spengler (84 anos) é o jardim de sua casa, localizada no Bairro Garcia, em Blumenau. Seu equipamento sempre foi uma Kodak Star 635, automática, sem recursos, com mais de 20 anos de uso. Seu trabalho é o resultado de uma essência humana refinada, espiritualizada, apaixonada pela beleza intensa e fugaz dos pores-do-sol.  

Mostra SESC - Arte Contemporânea, apresenta as exposições: Cidade Adormecida com obras de Alessandra Klug, Deda Silveira, Fabiano Wurr, Fabrício Schumidth e Guilherme Beker  e Outra_Superfície com obras de Ana Claudia Bubitz.

Enchentes 83/84  - 28 anos de história que nunca foram apagados, Kako Waldrich soma à sua trajetória à experiência de seu pai em fotografias  da cidade,  para mostrar momentos vivenciados nas enchentes de 83/84.


A visitação às exposições poderá ser feita até o dia 23 de setembro, de terça-feira a domingo, das 10 às 16 horas.

Visitas mediadas podem ser marcadas pelo telefone 3381.6176. A entrada é gratuita.

Lançamentos

DVD Comemorativo aos 50 anos da Banda Municipal de Blumenau

Livro O TRIDIMENSIONAL Dimensões para arte e educação de Roseli Moreira, contemplado pelo Fundo Municipal de Apoio à Cultura.


Apresentação musical:

O lançamento do DVD 50 Anos da Banda Municipal de Blumenau, com performances de balé, é uma das atrações da Noite Multicultural.

Serviço:
O que: Noite Multicultural
Onde: Fundação Cultural de Blumenau - Rua XV de Novembro, 161 - Centro 
Visitação: de 6 a 23 de setembro de 2012. De terça-feira a domingo, das 10h às 16h.
Agendamentos para grupos pelo telefone (47) 3381-6176
Entrada gratuita