quinta-feira, 27 de junho de 2013

Noite Multicultural abre temporada de exposições no MAB

A Fundação Cultural de Blumenau prepara mais uma Noite Multicultural para quinta-feira, dia 4 de julho. Com a abertura das exposições Dentro da Mata, de Miguel Penha; Os seres que me habitam, de Camila Vieira; 8/80 Pixels, do Coletivo opiopticA; Trama, de José Fernandes; Do Urbano ao Íntimo, de Pámela Reis; Sr. Joaquim e Cabeleira, de Thais Valadares; Se os homens conservarem as águas, de Luisa Christ; e Luminosidade, do grupo de estudos Arte Varia. A atração musical fica com o talento de Tay Galega.

A noite contará ainda com a performance da artista Camila Vieira e com contadora de histórias Shirlei Dickmann, na sala Especial. A promoção começa às 19h, com uma conversa com os artistas. Professores, arte-educadores, coordenadores-pedagógicos, artistas, acadêmicos, alunos de arte e a comunidade em geral estão convidados a participar desse bate-papo.

Dentro da Mata
A exposição Dentro da Mata, de Miguel Penha, conta com 12 telas pintadas exclusivamente para a exposição, com a predominância da natureza, do verde, das matas e da exuberância de nossas florestas. O artista da Chapada dos Guimarães (MT) pretende despertar no visitante a sensação ao entrar em uma floresta. As telas foram pintadas a partir de um conhecimento específico, um conhecimento indígena, pois o artista é indígena e tem uma vivência direta com tribos de diversas nações.

Os seres que me habitam
Com Os seres que me habitam, Camila Vieira parte da mancha como viés artístico para deixar vir à tona um universo infinito de figuras que nascem do acaso e da aleatoriedade. Assim, surgem seus seres imaginários - personagens que refletem a subjetividade e sua forma de interpretar a vida e as questões mundanas. À maneira dos surrealistas, ela procura libertar-se das exigências da lógica e da razão para ir além da consciência cotidiana, como em um sonho. Camila Vieira é graduada em Educação Artística pela Universidade Estadual de Londrina e reside em Rolândia (PR).

8/80 Pixels
8/80 Pixels, do Coletivo opiópticA, contempla uma pequena mostra da parte de produção multimídia de Alexandre Venera sobre a menor partícula visual da tela do computador, os pixels. A obra é apresentada visualmente em duas formas: como arte digital (com protetores de tela e visualizadores DJ/VJ) e artes gráficas (ampliações impressas dos quadros, fine art, print screen e instalações). 8/80 Pixels comemora 10 anos desde o início de sua produção e foi concebida a partir da perda de arte, na tentativa de recuperar as imagens danificadas de seu HD.

Trama 
Na série Trama, de José Fernandes, teias, enredos, escrituras e constelações preenchem o campo visual de seus trabalhos. José Fernandes é artista gráfico e visual, formado em arquitetura, vive e trabalha em Belém (PA). É Mestre em Comunicação, Linguagens e Cultura pela Universidade da Amazônia, onde, por dez anos, foi professor de artes visuais.

Do Urbano ao Íntimo
Do Urbano ao Íntimo, série da artista Pámela Reis, se utiliza do contraste entre a sensação de conforto e aconchego que as almofadas transmitem, e a impessoalidade de uma viagem de ônibus. A delicadeza do bordado à mão é entrecortada pelo tema agressivo das grandes cidades. Pámela possui licenciatura e especialização em arte e educação e reside na cidade de Serra, no Espírito Santo.

Sr. Joaquim e Cabeleira
Em Sr. Joaquim, a mineira Thais Valadares exprime sua inquietude em movimentos marcados pela trama entre fantasia, realidade e memórias pessoais. Cabeleira é um desenho-instalação de 45 camadas de impressão serigráfica com intervenção em desenho sobre papel Florpost, com 12 metros de comprimento. Aqui, numa alusão poética à passagem da vida, do tempo e das reminiscências, a artista enfatiza o contínuo crescimento dos cabelos, ao mesmo tempo em que os emaranha às cenas traçadas ao longo da série Sr. Joaquim, desenhos sobre papel de algodão. O conjunto é desdobramento de um diálogo mantido ao longo dos últimos dois anos de seu bacharelado em Artes Plásticas, tanto em disciplinas isoladas na Escola de Belas Artes da UFMG, como na Escola Guignard, da UEMG.

Se os homens conservarem as águas
A exposição Se os homens conservarem as águas, de Luisa Christ, reúne duas obras desenvolvidas em 2009 e 2012, que abordam um tema atual como a água e sua falta. "Objeto Vazante" remete à conservação da água e é composto por uma caixa suspensa com cabos de aço, apresentando um gotejamento contínuo de água. Apresenta textura de trincas e fendas, algumas vezes revelando indícios de água, outras vezes simplesmente denunciando sua carência.

Sonha e serás livre de espírito
A instalação "Sonha e serás livre de espírito", também de Luisa, discute a inconformidade humana frente à constante destruição dos recursos naturais e sua impotência diante das mudanças climáticas do planeta e suas consequências. A artista trabalha com artes plásticas desde 2004, ano em que iniciou o curso de Bacharelado na Udesc. Entre as diversas linguagens visuais que utiliza, dedica-se especialmente à cerâmica artística.

Luminosidade 
A exposição coletiva Luminosidade ressalta verdadeiras sinfonias de luz e sombra, contraste, ritmo, harmonia e variações tonais. O trabalho revela ou encobre meticulosamente detalhes e particularidades que só a aquarela sabe expressar. Por excelência, a técnica da pintura em aquarela é bastante minuciosa e de todas as técnicas, a mais delicada. Exemplo eminente da qualidade técnica, a mostra não contempla tema único, sendo, antes de tudo, a reunião de obras que objetiva a redescoberta da aquarela por sua leve e sutil manifestação e infinitas possibilidades.

Visitação
A visitação à exposição Luminosidade poderá ser feita até o dia 30 de julho. As demais exposições seguem até o dia 18 de agosto. Sempre de terça-feira a domingo das 10h às 16h. Visitas mediadas podem ser marcadas pelo telefone 3381-6176. A entrada é franca.

Saiba mais
O que: Noite Multicultural, com a abertura das exposições no Museu de Arte de Blumenau (MAB)
Quando: quinta-feira, dia 4 de julho, às 19h
Onde: Fundação Cultural de Blumenau (Rua XV de Novembro, 161, Centro)
Atração Musical : Tay Galega
Performance/Instalação: Camila Vieira
Contação de história: Shirlei Dickmann
Conversa com os artistas
Visitação: A visitação à exposição Luminosidade poderá ser feita até o dia 30 de julho. As demais, até 18 de agosto. De terça-feira a domingo, das 10h às 16h. Visitas mediadas podem ser marcadas pelo telefone 3381-6176
Entrada franca

Fontes: Mia Ávila, gerente do MAB (47 3381-6176/9230-419), e Ricardo Pimenta, diretor de Cultura (47 3381-6193)
Assessor de Comunicação Sergio Antonello (47 3381-6190/8814-0716)






terça-feira, 4 de junho de 2013

Espaço Alternativo abre exposição multimídia

Meios Sólidos é uma Instalação de Arte Multimídia com computadores, projeções interativas e suportes diferenciados para abrigar os equipamentos eletrônicos. A mostra será aberta quinta-feira, dia 6 de junho, no Espaço Alternativo da Fundação Cultural de Blumenau (Rua XV de Novembro, 161, Centro). O trabalho desenvolvido pelos artistas multimídia Juliana Teodoro e Alexandre Venera, do Coletivo opiopticA tem a colaboração fotográfica de Ivan Schulze. A instalação trata da descristalização, a rachadura existente nas coisas sólidas, os vários significados, marcas, memórias que as coisas adquirem, seja como utilitário (desejo de consumo) ou como obra de arte.

A mostra completa a série de trabalhos iniciados com o projeto Aquas e Bruxuleantes, que define a vibração como forma de expressão ao se produzir arte com o computador. As produções contam com incentivo do Fundo Municipal de Apoio à Cultura.

Meios Sólidos se desenvolve com base em um princípio arqueológico, encontrando e lapidando objetos. "Trabalhamos artisticamente com alguns conceitos da OOPArts Out of place artefato (Artefatos fora do Lugar), elementos da Cultura Steampunk, estudos Anamórficos e  Holográficos", explicam os artistas. "Para esse trabalho nos apropriamos de móveis antigos, transformando-os em suportes para interatividade, computadores e projetores, buscando em sua estrutura possibilidades criativas, tanto físicas quanto emocionais que esses objetos nos proporcionaram durante o período de criação da obra".

Saiba mais

O que: Meios Sólidos - Instalação de Arte Multimídia
Quando: de 6 a 17 de junho, das 10h às 16h
Abertura: dia 6, em horário especial a partir das 19h30
Onde: Espaço Alternativo, Fundação Cultural de Blumenau (Rua XV de Novembro, 161, Centro)


Fonte: Maria Izilda Ávila, gerente do Museu de Arte de Blumenau (47 3381-6176/9927-9877), e Juliana Teodoro, Projeto Meios Sólidos (47 3323-2503)
Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello (47 3381-6190/9977-8689)