quinta-feira, 24 de março de 2016

Escritores 'sem fronteiras' elogiam Fundação Cultural

A caravana da Rede Mídia Comunicação e da Editora Sem Fronteiras esteve na Fundação Cultural no dia 18 de março. O grupo de 150 convidados incluía escritores, artistas plásticos e músicos, provenientes de 49 cidades (19 estados brasileiros), além de oito países. Os convidados foram recepcionados pela diretora de Patrimônio Histórico e Museológico, professora Sueli Petry, no Espaço Elfy Eggert, onde por aproximadamente uma hora assistiram a apresentação da Banda Municipal de Blumenau.


Em seguida, os visitantes seguiram grupos até a Biblioteca Municipal Dr. Fritz Müller, onde fizeram a doação de 700 livros. No período de tarde, subdivididos em grupos, visitaram os museus vinculados à Fundação Cultural de Blumenau. No Museu de Arte de Blumenau (MAB) tiveram a oportunidade de visitar as exposições da 1ª Temporada do ano. “Os participantes externaram satisfação em poder conhecer os museus e espaços culturais da Fundação Cultural”, comentou a gerente do MAB, Mia Ávila.

O motivo deste encontro em Blumenau é que o Jornal Sem Fronteiras completa três anos de atividades. E no Exterior, possui representantes internacionais em 26 países, nos cinco continentes. “Os participantes sentiram-se muito à vontade durante todo o período de permanência na Fundação Cultural. Os coordenadores da caravana, em nome do grupo, agradeceram a receptividade, externando que superou as expectativas que tinham em relação à cidade, que foi acolhedora”, disse Mia. “Não faltaram elogios a atuação da Banda Municipal de Blumenau. Durante a apresentação, os convidados cantaram, dançaram e interagiram com o maestro e músicos.”

Saiba mais

1ª Temporada de Exposições do MAB

Visitação: até 17 de abril. De terça-feira a domingo, das 10h às 16h
Visitas mediadas: podem ser marcadas pelo telefone 3381-6176
Entrada franca


Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello



quarta-feira, 16 de março de 2016

MAB promove palestra sobre autismo

O Museu de Arte de Blumenau (MAB) estabeleceu parceria com o Centro Dynamis para oferecer ao público, no dia 31 de março, uma palestra sobre transtorno do espectro autista com o especialista Miguel Higuera Cancino. Outra atividade prevista é a abertura da Exposição Olhar Azul, que reúne fotografias feitas por crianças com autismo. A mostra fica aberta à visitação pública até 10 de abril. As duas ações foram planejadas para marcar a passagem do Dia Mundial de Conscientização do Autismo, 2 de abril.


A palestra "Transtorno do espectro autista na comunidade escolar" - estratégias básicas e práticas para compreender e incluir diversos graus de autismo no ambiente escolar, proferida pelo Coacher Comunicacional do Centro Clínico e de Capacitação Dynamis Brasil Miguel Higuera Cancino, será no dia 31 de março, às 19h, no Auditório Carlos Jardim da Fundação Cultural de Blumenau (Rua XV de Novembro, 161, Centro). O evento é direcionado a educadores, coordenadores pedagógicos, diretores, profissionais da área, pais, alunos e público em geral. O número de vagas é limitado e as inscrições com taxa simbólica de R$ 10 deverão ser feitas pelo e-mail palestraautismo@gmail.com. Será fornecida certificação de participação.

Em complemento, nessa mesma data será aberta, na Sala 30 da Fundação Cultural de Blumenau, a exposição Um Olhar Azul, composta por fotografias e autorretratos feitos por crianças com autismo. A mostra também contempla textos e depoimentos das famílias, para mostrar aspectos interessantes do convívio com o autismo e do como às vezes a dor inicial do diagnóstico pode dar lugar a uma forma diferente e enriquecedora de olhar o mundo através dos olhos dos nossos filhos diferentes. A visitação poderá ser feita até o dia 10 de abril, de terça-feira a domingo, das 10h às 16h.

É o terceiro ano que o MAB estabelece parceria com o Centro Dynamis para promover ações para celebrar e promover a conscientização sobre o autismo. Nas palestras que aconteceram nos anos de 2014 e 2015, todas as vagas foram preenchidas, tendo como público alvo profissionais de saúde, da rede de ensino público e privado, representantes de secretarias de Educação dos municípios, pais de portadores de autismo e comunidade em geral, provenientes principalmente de Blumenau, Timbó, Indaial, Gaspar, Pomerode e Itapema.

Entender o autismo, compreender que o aluno autista processa as informações de maneira diferente, tem resistência às mudanças, sensibilidade ao barulho, entre outras especificidades e necessidades, requer adaptações na rotina escolar e envolvimento em projeto de inclusão, no qual as diferenças devem ser respeitadas e utilizadas em prol da aprendizagem.

A Lei 12.764 de 27 de dezembro de 2012 institui a Política Nacional de Proteção aos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista. Em seu artigo 3º, IV, garante o acesso da criança autista à educação e ao ensino profissionalizante. A escola precisa se preparar não só para garantir o acesso, mas também a permanência do aluno autista.

A lei
O ingresso de uma criança autista em escola regular é um direito garantido por lei, como aponta o capítulo V da Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), que trata sobre a Educação Especial. A redação diz que ela deve atender a efetiva integração do estudante à vida em sociedade. Além da LDB, a Constituição Federal, a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, Estatuto da Criança e do Adolescente e o Plano Viver sem Limites (Decreto 7.61/11) também asseguram o acesso à escola regular.
 
Serviço

O que: Palestra Transtorno do espectro autismo na Comunidade Escolar
Quando: 31 de março, às 19h
Onde: Auditório Carlos Jardim - Fundação Cultural de Blumenau
Taxa de inscrição: R$ 10
Vagas limitadas
Inscrições e informações adicionais: E-mail palestraautismo@gmail.com
Telefones: (47) 3232-7278, 9707-3000 e 9963-1084


segunda-feira, 14 de março de 2016

Grupo Barbotina homenageia as mulheres

As flores elaboradas em cerâmica pelo Grupo Barbotina transitam pelos jardins que marcam a história de Blumenau. Depois de uma breve permanência no jardim do Mausoléu Dr. Blumenau, as obras de arte estão agora em frente ao busto de Edith Gaertner, entre a Biblioteca Municipal Dr. Fritz Müller e o Museu da Família Colonial. Trata-se de uma homenagem do grupo para as mulheres.

O grupo composto por Beliria Boni, Cema Raizer, Ester Renaux, Maria Goretti Casas, Maristela Silveira, Mia Avila, Mila Cambraia, Pakawon T. Martin e Sueli Freygang reúne-se todas as segundas-feiras na Fundação Cultural de Blumenau para pesquisar e experimentar técnicas e procedimentos em cerâmica. Os resultados desses trabalhos podem ser conferidos na FCB no jardim em frente ao Museu da Família Colonial e no Espaço Alternativo, onde está a exposição Engobes-nove, aberta à visitação até 11 de abril, de terça-feira a domingo, das 10h às 16h. A entrada é franca.


A homenageada Edith Gaertner era uma mulher à frente de seu tempo. Nascida em 22 de março de 1882, era sobrinha-neta do químico e filósofo Hermann Bruno Otto Blumenau, fundador da cidade. Com temperamento independente, aos 20 anos viajou sozinha para Buenos Aires. Seu grande sonho era o teatro e na Argentina conheceu sua musa inspiradora, a atriz Elenora Duse.

Pós-guerra

Edith foi para a Alemanha, onde cursou a Academia de Arte Dramática em Berlim. Percorreu as principais cidades europeias e atuou em renomados palcos de teatro, com peças de Goethe, Schiller, Moliére e Shakespeare. Com a doença dos irmãos solteiros, Edith teve que retornar a Blumenau em 1924 e abandonou a carreira artística.

A atriz voltou à Alemanha somente em 1928 e permaneceu por lá por mais de um ano. Naquela época a Alemanha vivia os efeitos do pós-Primeira Guerra Mundial. Quando retornou ao Brasil, modificou radicalmente seus hábitos e estilo de vida. Do constante e assíduo contato com o público, preferiu refugiar-se no silêncio de sua propriedade, entre livros, animais e o verde do parque nos fundos da casa e foi assim até o final de sua vida. Após o falecimento de Dona Edith, em 1967, sua casa construída em 1864 e o parque localizado nos fundos foram doados ao município.

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello

Artista elogia 1ª Temporada de Exposições do MAB

O lançamento da 1ª Temporada de Exposições do Museu de Arte de Blumenau (MAB) impressionou os artistas que prestigiaram a abertura das salas na última quinta-feira, dia 3 de março. A festa teve música, arte e conversa com os autores das obras. “A Fundação Cultural de Blumenau abre o ano com um show de cultura, confirmando mais uma vez o talento e a competência que a instituição tem para realizar e fomentar o setor,” comenta a artista Maria Selenir Nunes dos Santos (Sela). “Em Florianópolis, a gerência de Mia Avila e seu conselho são bem conhecidos por tantas realizações de qualidade e que melhoram a cada ano”.


Maria Selenir está acostumada a ver exposições, montagens, curadorias, mas as temporadas de exposições do MAB são especiais na opinião da artista. “Percebemos o cuidado com cada detalhe. Tudo é bem tratado, pensado, concebido e depois oferecido à comunidade”, observa. “Todos se sentem acolhidos pela equipe e administração do museu. É um privilégio participar desse movimento cultural ao lado de pessoas amorosas, competentes e divertidas”, conclui.
A primeira exposição do ano reúne obras de Nilva Ana Rossi Cardoso, de Clara Fernandes, Maria Selenir (Sela) e Tadeu Bittencourt. O Grupo Barbotina participa da temporada com trabalhos de nove mulheres artistas. “Engobe-Nove – Arte em processo” está em cartaz no Espaço Alternativo da Fundação Cultural de Blumenau (Rua XV de Novembro, 161, Centro). As visitas podem ser feitas até 17 de abril. A entrada é franca.

Saiba mais

1ª Temporada de Exposições do MAB

Visitação: até 17 de abril. De terça-feira a domingo, das 10h às 16h

Visitas mediadas: podem ser marcadas pelo telefone 3381-6176

Entrada franca

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello

quinta-feira, 3 de março de 2016

Noite festiva abre nesta quinta galerias do MAB

Chegou a grande noite de abertura da 1ª Temporada de Exposições do Museu de Arte de Blumenau (MAB). A programação festiva começa às 19h desta quinta-feira, dia 3 de março, com a tradicional conversa com os artistas. Esta edição, a primeira do ano, reúne obras de Nilva Ana Rossi Cardoso, de Clara Fernandes, Maria Selenir (Sela) e Tadeu Bittencourt. A programação festiva terá declamação de poemas e show musical. A entrada é franca, assim como as visitas que podem ser feitas até 17 de abril.


Entre as atrações da noite está a presença do Grupo Barbotina, que reúne trabalhos de nove mulheres artistas. Elas brindam o público com  “Engobe-Nove – Arte em processo”, em cartaz no Espaço Alternativo da Fundação Cultural de Blumenau (Rua XV de Novembro, 161, Centro).

O grupo composto por Beliria Boni, Cema Raizer, Ester Renaux, Maria Goretti Casas, Maristela Silveira, Mia Avila, Mila Cambraia, Pakawon T. Martin e Sueli Freygang se reúne todas as segunda-feiras na Fundação Cultural para pesquisar e experimentar técnicas e procedimentos em cerâmica. “Engobe-nove – Arte em processo” apresenta peças em cerâmica, resultado de um trabalho experimental e em andamento desenvolvido pelas Barbotinas. Trata-se de uma pesquisa de engobes que dão colorido às peças.

A pesquisa foi desenvolvida com óxidos e corantes e massas cerâmicas com materiais agregados. O estudos têm como base a obra de Jorge Fernández Chiti. Por definição, o engobe é a primeira forma de se cobrir/colorir uma peça de cerâmica, assim como as tigelas, utilizadas pelo grupo, representam as primeiras produções em cerâmica. Principais óxidos pesquisados: manganês, cobre, cromo, ferro, cobalto, zinco e titânio. “Barbotina é uma mistura de argila e água, com consistência barrosa, utilizada para unir parte de peças de argila”, explica a gerente do MAB, Mia Avila. “As artistas estarão presentes na noite de abertura para apresentar e conversar sobre os trabalhos desenvolvidos.”

Saiba mais

Abertura da 1ª Temporada de Exposições no MAB
Quando: 3 de março, quinta-feira
Horários:
19h: conversa com os artistas
20h: abertura da 1ª Temporada de Exposições do MAB, declamações de poesias pelos representantes da Sociedade Escritores Blumenau, apresentação musical e a exposição "Engobes-nove", do Grupo Barbotina
Lançamento de livros: Arte na Escola, de autoria de Maria Teresinha Heimann, e Atitudes Pessoais de Cura, de autoria de Luiz Azevedo
Visitação: até 17 de abril. De terça-feira a domingo, das 10h às 16h
Visitas mediadas: podem ser marcadas pelo telefone 3381-6176

Entrada franca

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello 


Noite de abertura de exposições terá lançamento de livros

Está chegando a grande noite. A abertura da 1ª Temporada de Exposições do Museu de Arte de Blumenau (MAB), quinta-feira, dia 3 de março, contará com uma noite multicultural aberta ao público da região. Além das exposições Epifânicas, de Clara Fernandes, Mater’s, de Sela, Mutatis, de Nilva Rossi, e de obras do acervo do MAB produzidas pelo artista Tadeu Bittencourt, o evento tem na programação a conversa com os artistas, lançamento de livros, declamações de poemas e as apresentações do Grupo Barbotina e show musical. Tudo isso na Fundação Cultural (Rua XV de Novembro, 161, Centro), às 19h, com entrada franca.


O livro Arte na Escola - Desafios na Arte Educação, de Maria Teresinha Heimann (Blumenau, 2015 – Nova Letra – Gráfica e Editora) é mais do que um tratado pedagógico ou um manual de técnicas destinado ao ensino de arte às crianças e adolescentes. O livro oferece ao leitor a possibilidade de reflexão a respeito da arte em si e da capacidade de olhar e interpretar o mundo.

Nesse trabalho, a autora mostra que o refinamento da percepção e da sensibilidade decorre de uma formação estética, do despertar de um processo perceptivo para o qual o ensino da arte tem importância basilar. Além disso, a compreensão da arte e a realização de trabalhos artísticos na escola podem ser instrumentos acessórios úteis para o entendimento de outras matérias curriculares, seja na área das ciências exatas (Matemática, Física e Geometria) ou Humanas (História, Literatura e Filosofia).

De forma bastante objetiva e simples, Teresinha Heimann leva o leitor a concluir que a cadeira de Arte não deve ser vista como a tentativa de transformar alunos em artistas mirins, mas fazer com que despertem para perceber novos valores capazes de enriquecer espíritos, vivências e existências, através, apenas, de um olhar mais atento e profundo às cores e formas que se apresentam no cotidiano.

As considerações da autora a propósito do ensino de Arte deixam claro que ao se lapidar a sensibilidade da criança e do adolescente, acendendo-lhes as chamas da intuição, do intelecto e da razão, caminha-se para a construção de um ser humano mais preparado não apenas para o desenvolvimento acadêmico e profissional, mas principalmente para o convívio em sociedade e o exercício da cidadania.

Atenção à saúde

A obra Atitudes Pessoais de Cura, de Luiz Azevedo, é um livro fascinante e revolucionário que dará ao leitor a confiança e as informações necessárias para que possa participar das transformações na área da saúde que estão ocorrendo em todo o mundo. Seu principal objetivo é melhorar de imediato a qualidade de vida das pessoas. Apresentar caminhos que levam a saúde e a cura a partir da tomada de consciência, da mudança de conceitos pessoais e adoção de atitudes em relação a si mesmo, aos outros e ao mundo. Escrito de modo direto, objetivo e envolvente, ele brinda os leitores com a simplicidade e relevância dos cuidados pessoais.

As mudanças mais importantes começam quando as pessoas conseguem alterar suas próprias percepções em relação a cada aspecto essencial de suas vidas. Assim, as Atitudes Pessoais de Cura são decisões e atitudes individuais específicas para a melhora significativa do estado de saúde e bem-estar geral do indivíduo, que muitas vezes se apresentam como soluções simples.

Serviço

1ª Temporada de Exposições do MAB
Abertura: quinta-feira, dia 3 de março
19h: conversa com os artistas
20h: abertura oficial
Apresentações artísticas:
Exposição Engobes-nove – Grupo Barbotina
Declamação de poemas pelos representantes da Sociedade Escritores Blumenau
Lançamento dos livros:
Arte na Escola de autoria de Maria Teresinha Heimann
Atitudes Pessoais de Cura de autoria de Luiz Azevedo.
Apresentação musical
Visitação às exposições: até 17 de abril. De terça-feira a domingo, das 10h às 16h
Visitas mediadas: podem ser marcadas pelo telefone 3381-6176

Entrada franca

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello 


quarta-feira, 2 de março de 2016

Nilva Rossi apresenta sua coleção Mutatis

As obras da artista paranaense Nilva Ana Rossi Cardoso estão entre as atrações da 1ª Temporada de Exposições do Museu de Arte de Blumenau (MAB), que abre ao público nesta quinta-feira, dia 3 de março, às 20h, logo após a conversa com os artistas. O evento de estreia também reúne obras de Clara Fernandes, Maria Selenir (Sela) e Tadeu Bittencourt. A programação festiva de abertura terá declamação de poemas e música. A entrada franca, assim como as visitas que podem ser feitas até 17 de abril.
                   Para o mestre em Filosofia e especialista em História da Arte, João Coviello, as obras de Nilva Rossi pedem uma contemplação atenta e silenciosa. “Essa contemplação é necessária para a completa fruição de detalhes que a artista, consciente ou inconscientemente, nos apresenta”, diz ele. “Dessa forma, é possível perceber várias camadas de matéria que a artista aplicou sobre as telas. Assim, ela nos apresenta primeiramente um processo, palavra que usamos no sentido de ação, sequência ou método. Nessa sequência de operações artísticas, percebemos camadas de crayon, grafite, tinta, giz para quadro negro, carvão etc.”
                  O trabalho de Nilva enfatiza a possibilidade da arte como experiência contínua com vários suportes e materiais. “No processo de criação, a água e o acaso possuem papeis fundamentais. Desse modo, em seu trabalho, a água é preponderante e tem um duplo objetivo: artístico e simbólico”, comenta Coviello. “Ao misturar-se com outros materiais, como o carvão, por exemplo, faz surgir imagens que provocam surpresas dignas de atenção. A quantidade de água, controlada ou aleatória, faz aflorar as imagens. Daí o acaso.”
                            A água ainda permite à artista pesquisar a consistência dos materiais. Quando ela seca, as marcas transparentes possibilitam a percepção das inúmeras camadas trabalhadas pela artista. “Assim, a água é o amálgama que permite à artista juntar todos os elementos simbólicos que surgem aos nossos olhos”, observa Coviello.
                           O trabalho de Nilva é surpreendentemente catártico e lúdico, ao mesmo tempo.  Para além de todos estes aspectos analisados, nem tudo está limitado à quantidade de matéria que se estende sobre as telas, nem à sobreposição quase infinita dessa mesma matéria. “Nilva Rossi deixa, propositadamente, partes em branco, como aberturas ou portas. Esta metáfora é ainda mais potente, pois nos remete a espaços livres, desprotegidos, desnudos. A artista talvez queira mostrar que sua obra é uma obra aberta, que nos convida a entrar.”
A professora aposentada de Educação Física Nilva Rossi é natural de Assai, Norte do Paraná. Em 2002, iniciou curso de desenho básico, Linguagem Visual e Cerâmica na Universidade Estadual de Maringá. Atualmente mora e trabalha em Curitiba (PR).

Saiba mais

Abertura da 1ª Temporada de Exposições no MAB
Quando: 3 de março, quinta-feira

Horários: 

19h: conversa com os artistas
20h: abertura da 1ª Temporada de Exposições do MAB, declamações de poesias pelos representantes da Sociedade Escritores Blumenau, apresentação musical e a exposição "Engobes-nove", do Grupo Barbotina
Lançamento de livros: Arte na Escola, de autoria de Maria Teresinha Heimann, e Atitudes Pessoais de Cura, de autoria de Luiz Azevedo

Visitação: até 17 de abril. De terça-feira a domingo, das 10h às 16h
Visitas mediadas: podem ser marcadas pelo telefone 3381-6176
Entrada franca

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello 


MAB homenageia artista plástico Tadeu Bittencourt

O Museu de Arte de Blumenau ao expor obras de seu acervo, entre elas as premiadas “Cornucópia” (1º lugar no 3º Salão Elke Hering – 1997) e “Parede” (1º lugar no 4º Salão Elke Hering - 1999), presta justa homenagem ao artista Tadeu Bittencourt pela passagem de seus 30 anos de vida dedicada à arte que, em suas veias, continua em efervescência.

Entre as atrações da primeira mostra do ano constam os trabalhos do artista plástico blumenauense Tadeu Bittencourt. Sua arte passa a ter alta projeção a partir da década de 1980. Artista de muitas facetas, apresenta no universo de sua criação linguagens pelas quais transita com plena liberdade. Sua trajetória é marcada pela diversidade de emoções e sentimentos. Suas obras suscitam e revelam seu aspecto pluralista.
O Museu de Arte de Blumenau ao expor obras de seu acervo, entre elas as premiadas “Cornucópia” (1º lugar no 3º Salão Elke Hering – 1997) e “Parede” (1º lugar no 4º Salão Elke Hering - 1999), presta justa homenagem ao artista Tadeu Bittencourt pela passagem de seus 30 anos de vida dedicada à arte que, em suas veias, continua em efervescência.
Tadeu Bittencourt (Blumenau, 1955) possui no currículo exposições individuais e coletivas. Sua primeira individual em sua cidade natal foi em 1987, na Universidade Regional de Blumenau (Furb). É considerado um dos artistas catarinenses mais premiados e selecionados em salões de arte.

Serviço

Abertura da 1ª Temporada de Exposições no MAB

Quando: 3 de março, quinta-feira

Horários:

19h: conversa com os artistas

20h: abertura da 1ª Temporada de Exposições do MAB, lançamento de livros, declamações de poesias, apresentação musical e a exposição "Engobes-nove" do Grupo Barbotina

Visitação: até 17 de abril. De terça-feira a domingo, das 10h às 16h

Visitas mediadas: podem ser marcadas pelo telefone 3381-6176

Entrada franca

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello