quarta-feira, 18 de julho de 2018

Blumenau viabiliza ações para valorizar a arte urbana


A Fundação Cultural de Blumenau (FCBlu) promoveu no último sábado, dia 14, a “Roda de Conversa sobre Arte Urbana/Grafite”. O encontro aberto à comunidade serviu para planejar ações que deem continuidade à iniciativa de estimular a arte urbana, criando galerias a céu aberto. Os convidados trocaram experiências com representantes do Conselho Municipal de Política Cultural, Conselho Consultivo do Museu de Arte de Blumenau (MAB), Universidade Regional de Blumenau (Furb), Federação das Associações de Artistas Plásticos do Estado de Santa Catarina (Faapsc), Jeep Club e Câmara de Vereadores.

As ideias e propostas apresentadas serão compartilhadas para o estímulo e implementação das diversas manifestações da arte urbana na cidade de forma planejada, estruturada e em harmonia com o cenário histórico e ambiente urbano. “Parcerias serão estabelecidas com a iniciativa privada para o lançamento do edital Projeto Rota da Arte de Rua, para sua viabilização em muros públicos e privados a partir de oficinas teóricas e práticas ministradas, orientadas e acompanhadas por artistas visuais”, destacou a gerente do MAB, Mia Ávila.
O presidente da Fundação Cultural, Rodrigo Ramos, disse que as representações apresentaram seus entendimentos e propostas nos segmentos artísticos, educacionais, urbanos e sociais. “Todos somaram e contribuíram para a elaboração de uma proposta que busca ser construída de forma contínua e coletiva”, concluiu.

Assessor de comunicação: Sérgio Antonello

terça-feira, 10 de julho de 2018

Abertura da temporada de exposições do MAB reúne amantes da arte


Foi aberta na noite desta quinta-feira, dia 5, a 3ª Temporada de Exposições do Museu de Arte de Blumenau (MAB). O evento, realizado na Fundação Cultural de Blumenau (FCBlu), reuniu os amantes da arte, que puderam conversar com os artistas, conhecer as obras, ouvir músicas e declamações de poesias. Também teve lançamento de livro e homenagem à cantora lírica Cristiane Roncaglio. As exposições até o dia 26 de agosto, de terça-feira a domingo, das 10h às 16h, e a entrada é franca.
A terceira edição do ano tem Marafigo, na Sala Especial, com a exposição "O ver, o olhar e o visto". Marcelo Campos trouxe de Brasília para a Sala Roy Kellermann "Sudários do Cerrado - água, terra, fogo e ar"; Moa Castilho veio do Rio de Janeiro para a Sala Elke Hering com a mostra "Painel do Desamparo"; Érika Malzoni, artista paulistana, apresenta na Galeria Municipal de Arte/Sala Alberto Luz a exposição "Vem debaixo do barro do chão"; e o fotógrafo alemão Fabricio Schmidt enviou para a Galeria do Papel a mostra "Caçando Almas".
A gerente de Educação Infantil da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Rosana Wenderlich, trouxe um grupo de crianças com a missão de acompanhar a fala dos artistas. "Com a visualização das imagens, as estudantes fornecerão as impressões para a pesquisa que Rosana está fazendo em seu mestrado", salientou a gerente do MAB, Mia Ávila.
A Fundação Cultural também prestou homenagem à cantora blumenauense Cristiane Roncaglio que faleceu segunda-feira, dia 2, na Alemanha, onde morava com a família e lutava contra o câncer.

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello 

quinta-feira, 5 de julho de 2018

Museu de Arte recebe exposição Painel do Desamparo


O projeto Painel do Desamparo é um dos trabalhos que será exposto na 3ª Temporada de Exposições do Museu de Arte de Blumenau (MAB). A abertura está marcada para esta quinta-feira, dia 5, às 19h. Criado pelo artista carioca Moa Castilho, o projeto visualiza e retrata um morador de rua dormindo em um beco vestido com a camiseta do Brasil.
Moa Castilho fez outras imagens de pessoas em situação semelhante e compôs poesias sobre o tema, tentando captar o desamparo e a carência nos diversos moradores de rua retratados. "A opção de trabalhar as fotografias com filtro impressionista tem o objetivo de aumentar a impressão visual da realidade, como se fossem pinturas", observa a gerente do MAB, Mia Ávila.

Moa possui uma trajetória bastante singular, tendo iniciado a carreira artística como bailarino, dançando profissionalmente por cerca de dez anos. O encantamento com as letras e palavras, fizeram-no ampliar os horizontes, publicando o livro de poesias "Dançarilho", pela Editora Muiraquitã. Participou desde então de saraus de poesia no Rio de Janeiro e Niterói. Ao mesmo tempo, abriu o Espaço Cultural Tribo Urbana em Niterói, e retomou a paixão de juventude pela fotografia, iniciando o projeto "Painel do Desamparo", que une a poesia com a fotografia. 

Saiba mais
Abertura da 3ª Temporada de Exposições no MAB
Data: quinta-feira, dia 5
Horário: 19h
Visitas: de terça-feira a domingo, das 10h às 16h, até 26 de agosto
Visitas mediadas: telefone 3381-6176
Entrada franca

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello 

Começa nesta quinta-feira, dia 5, a 3ª Temporada de Exposições do MAB


A Fundação Cultural de Blumenau (FCBlu) apresenta nesta quinta-feira, dia 5, a 3ª Temporada de Exposições do Museu de Arte de Blumenau (MAB). A festa de abertura começa às 19h com a tradicional conversa com os artistas. Entre as atrações da noite, o público percorrerá as galerias, acompanhará lançamento de livro e ouvirá músicas e poesias. A entrada é franca.
A terceira temporada do ano reúne obras de artistas de Curitiba (PR), Brasília (DF), Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP) e Colônia (Alemanha). Marafigo apresenta na Sala Especial a exposição "O ver, o olhar e o visto"; Marcelo Campos, traz de Brasília para a Sala Roy Kellermann "Sudários do Cerrado - água, terra, fogo e ar"; Moa Castilho vem do Rio de Janeiro para a Sala Elke Hering com a mostra "Painel do Desamparo"; a artista paulistana Érika Malzoni apresenta na Galeria Municipal de Arte/Sala Alberto Luz a exposição "Vem debaixo do barro do chão"; e o fotógrafo alemão Fabricio Schmidt envia para a Galeria do Papel a mostra "Caçando Almas".
Para a gerente do MAB, Mia Ávila, as diferentes linguagens e poéticas desta temporada tratam de questões relacionadas aos problemas ambientais, sociais, ao ciclo de vida, à fragilidade de nossa existência, aos excessos que cometemos, provocando no expectador a reflexão e interrogação do contemporâneo.
A abertura da temporada também contempla o público com o lançamento do livro Máximas do Barão de Itapuí, de Gervásio Tessaleno Luz, e com a apresentação poética de Maria de Lourdes Scotini, representando a Sociedade Escritores Blumenau (SEB). As visitas às exposições podem ser feitas até 26 de agosto, de terça-feira a domingo, das 10h às 16h, sempre com entrada gratuita.

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello 

quarta-feira, 4 de julho de 2018

Abertura da temporada de exposições do MAB terá lançamento de livro


O jornalista, professor e escritor Gervásio Tessaleno Luz lança nesta quinta-feira, dia 5, o livro de crônicas Máximas do Barão de Itapuí, obra que resume um pouco das histórias do cronista que escolheu o Vale do Itajaí para morar. O evento ocorre durante a abertura da 3ª Temporada de Exposições do Museu de Arte de Blumenau (MAB), na Fundação Cultural de Blumenau, a partir das 19h. O livro é patrocinado pelo Fundo Municipal de apoio à Cultura de Blumenau. A entrada é gratuita e aberta ao público.
O escritor conta que andava com vontade de reunir crônicas que teriam o título Bichos, gente e coisas. Mas a sua coordenadora editorial, a escritora Terezinha Manczak, achou o título um tanto simplório. "Ao saber que em um empório da minha rua, a Itapuí, tinham me batizado, provavelmente por ironia, de Barão de Itapuí, um tanto pomposo, bolou o novo nome", explica com bom humor.
Segundo o escritor, o critério de seleção partiu de uma pesquisa sobre crônicas que merecessem ficar registradas em livro. "Tornou-se costume os escritores, depois de verem os textos impressos em jornais, selecionar os melhores e lançá-los em livros. O jornal passa, é esquecido. O livro garante a sua sobrevivência", acredita.

Sobre o autor
Gervásio nasceu em Rio do Sul no dia 25 de agosto de 1942. Aos 12 anos mudou-se para Blumenau, onde vive até hoje. Estudou em Curitiba e Rio de Janeiro. Adotou o pseudônimo de Tessaleno, incorporado ao verdadeiro nome, desde a sua estreia na imprensa em 1964. Respondeu pela direção da sucursal do jornal O Estado, durante a década de 1970. Exerceu o colunismo no Jornal de Santa Catarina nos anos 1980.
A coluna Tessaleno foi publicada em mais de 60 jornais e em quatro revistas. Dedicou-se ao jornalismo, ao magistério e à literatura. Lecionou as disciplinas de Língua Portuguesa, Oratória e Literatura nos mais importantes colégios de Blumenau. É autor dos livros Rio (2001), Crônica, doce crônica (2007), O pensamento vivo de Frei Odorico (2014) e A casa dos nonos (2015).

Saiba mais
Abertura da 3ª Temporada de Exposições no MAB
Data: quinta-feira, dia 5
Horário: 19h
Visitas: de terça-feira a domingo, das 10h às 16h, até 26 de agosto
Visitas mediadas: marcar telefone 3381-6176
Entrada franca

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello 

Exposição Sudários do Cerrado chega ao Museu de Arte de Blumenau



A exposição Sudários do Cerrado – água, terra, fogo e ar, é uma das atrações da 3ª Temporada de Exposições no Museu de Arte de Blumenau (MAB). A abertura do evento está marcada para esta quinta-feira, dia 5, às 19h, e terá a presença também de Marcelo Campos, autor deste trabalho formado por tecidos brancos ou tingidos com terra de Brasília, impressos com o carvão de árvores queimadas por incêndios florestais em áreas urbanas e rurais. A entrada é franca.
As impressões de Marcelo são produzidas a partir da colocação de tecidos encharcados com água sobre troncos e galhos queimados. Os tecidos ficam como ataduras nas árvores. "Os conjuntos envoltos nos galhos e troncos das árvores carbonizadas formam instalações artísticas. Afetam, modificam e ressignificam, temporariamente, paisagens críticas devastadas pela ação do fogo", explica a gerente do MAB, Mia Ávila.
Os Sudários do Cerrado são registros gráficos e artísticos do bioma, de espécies vegetais, de incêndios florestais e de padrões da natureza. A obra denuncia de forma poética um grave problema ambiental: a destruição do Cerrado no Brasil. O objetivo do autor é promover exposições itinerantes dessa obra no Brasil e no Exterior, em espaços públicos ou privados, desde que disponibilizem o acesso público e gratuito, indistintamente, divulgando a mostra nos meios de comunicação.

Sobre o artista
Nascido em Brasília (DF), em 1969, Marcelo iniciou sua formação em desenho e pintura em 1988 na escola de arte Cresça, coordenada à época por Glênio Bianchetti. Em 1999, ingressou na UnB e se formou Bacharel em Desenho Industrial. Prestou serviços de design gráfico, design de produto e ilustração a diversas empresas privadas, governo, jornais e agências. Em 2011, retomou os estudos e as atividades em arte, participando de cursos e workshops. Atualmente, trabalha com desenho, colagem e impressão em atelier próprio em Brasília. Atua também como diretor e produtor de TV.

Saiba mais
Abertura da 3ª Temporada de Exposições no MAB
Data: quinta-feira, dia 5
Horário: 19h
Visitas: de terça-feira a domingo, das 10h às 16h, até 26 de agosto
Visitas mediadas: 3381-6176
Entrada franca

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello 

terça-feira, 3 de julho de 2018

Exposição Caçando Almas chega ao Museu de Arte de Blumenau

A série Caçando Almas é mais um projeto que poderá ser visto a partir desta quinta-feira, dia 5, às 19h, na de abertura da 3ª Temporada de Exposições do Museu de Arte de Blumenau (MAB). O projeto usa exposições duplas com filmes fotográficos, que já foram usados por outras pessoas, mas que foram esquecidos em câmeras analógicas. Muitas vezes, os filmes permanecem lá por anos ou mesmo décadas, até que terminam, ainda nas câmeras, em mercados de pulgas ou portais de vendas online. Fabricio Schmidt rebobina os filmes nas câmeras originais, retira-os e depois os usa em outras câmeras para criar as duplas exposições.
O título Caçando Almas se baseiae no conceito das fotos que Fabricio tirou sobre outras já expostas. "A busca de Fabricio pelas almas, que alguém capturou no filme tempos atrás e com o tempo as esqueceu, é na verdade uma missão de resgate", destaca a gerente do MAB, Mia Ávila.

Sobre o artista
Fabricio Schmidt nasceu em 1981 em Hagen, na Alemanha, e cresceu em Iserlohn. Após a graduação escolar, estudou paisagismo e urbanismo na Universidade Leibniz de Hannover. De 2007 a 2015, viveu no Brasil e retornou à Alemanha em 2015. Como fotógrafo e artista visual, participou de exposições individuais e coletivas no Brasil, Argentina, Áustria, Alemanha e Estados Unidos. Os focos principais são o uso e o processamento de fotos em montagens, colagens, palimpsestos e instalações. Seu trabalho pode ser conhecido no site.

Saiba mais
Abertura da 3ª Temporada de Exposições no MAB
Data: quinta-feira, dia 5
Horário: 19h
Visitas: de terça-feira a domingo, das 10h às 16h, até 26 de agosto
Visitas mediadas podem ser marcadas pelo telefone 3381-6176
Entrada franca

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello