sexta-feira, 22 de abril de 2016

MAB aguarda interessados em 'colocar a mão na massa'

O Museu de Arte de Blumenau (MAB) e o Ateliê de Cerâmica Gogo Casas estabeleceram parceria para desenvolver a oficina "colocando a mão na massa".  Amassando, enrolando, alisando, perfurando, colando e sobrepondo, os participantes conhecerão os princípios básicos que norteiam a confecção de peças e cerâmica e criarão peça utilizando técnica do acordelado aparente. Essa peça após a queima será entregue ao participante.

Serão oferecidas duas oficinas, uma no dia 25 de abril das 14h às 17h e a outra no dia 27 de abril das 18h30 às 21h30, no Espaço Elfy Eggert da Fundação Cultural de Blumenau (Rua XV de Novembro, 161, Centro). Investimento: R$ 71 (com material e queima inclusos) e R$ 35 para crianças acompanhadas pelos pais. As vagas são limitadas. As inscrições podem ser feitas pelo e-mailgogocasas@gmail.com

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello

Artista Maristela Silveira fala para universitárias

A abertura da Exposição Colamentos da artista gaúcha Maristela Silveira, na noite de sexta-feira, 8 de abril, no espaço cultural do Shopping Neumarkt ocorreu em clima de descontração e muita conversa sobre arte. Durante a abertura da exposição a artista recebeu 18 acadêmicas do curso de Pedagogia da Furb, acompanhadas da professora, por coincidência também Maristela.

Momento de destaque foi a fala da artista que privilegiou a troca de experiências, a discussão sobre leitura imagética, o processo de produção, a importância da curadoria e expografia para as exposições, entre outros temas questionados e de interesse das acadêmicas. Registra-se também a importância da iniciativa da professora Maristela em proporcionar às alunas a oportunidade de usufruir de evento e espaço cultural como extensão da sala de aula.
A parceria do MAB com o Shopping Neumarkt firma-se na proposta de propiciar ao público mais uma oportunidade de ter acesso a eventos culturais e conhecer a produção de artistas de talentos da cidade ou residentes em outros municípios de Santa Catarina.

História sem textos
Na mostra Colamentos, a artista propõe uma história sem textos, que se lê através das imagens, que se colam, descolam, decolam de seu corpo/personagem. A narrativa nem sempre possui significado formal, com limites tênues entre a figura e o fundo, entre o figurativo e o abstrato, entre o frágil e o resistente, que o campo da arte pode permitir e consolidar. Segundo a gerente do MAB e curadora da exposição, Mia Ávila, a artista Maristela Silveira transita livremente entre as várias linguagens, pintura, desenho, gravura e escultura, mas o faz com seriedade, coerência, comprometimento e sem perder a identidade. "Suas obras surgem de um processo poético onde o feminino sempre está presente e é trazido à tona pela memória. Apropriando-se dessas lembranças abre para o espectador seu mundo particular."
Maristela Silveira é natural de Cruz Alta (RS), mas atualmente está em Pomerode onde trabalha. Possui formação em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Participou de oficinas livres do Centro Integrado de Cultura de Florianópolis, e de exposições individuais e coletivas no Brasil e na Alemanha.
Serviço
Exposição: Colamentos da artista Maristela Silveira
Local: Shopping Neumarkt, 2º piso, em frente ao Restaurante Madeiro
Visitação: até 17 de abril no horário de funcionamento do shopping.
Entrada: livre
Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello

terça-feira, 12 de abril de 2016

MAB recebe visita de universitários durante a noite

Acadêmicos de Jornalismo do Ibes-Sociesc estiveram no Museu de Arte de Blumenau (MAB) na noite de quinta-feira, 7 de abril, acompanhados do professor Fábio Ricardo. A abertura para visitação noturna foi agendada com antecedência em atendimento ao professor que manifestou interesse em trazer os alunos durante o horário de aula.


A visita teve como objetivo estimular a apreciação estética para poder fotografar as obras dando um tratamento mais artístico, não só jornalístico. A proposta do professor é que os alunos se apropriem de elementos das fotos para produzir projeto interdisciplinar relacionado com a área de moda.

Os acadêmicos visitaram todas as exposições que compõem a 1ª Temporada do ano e os trabalhos do Grupo Barbotina, que são apresentados no espaço Alternativo da Fundação Cultural de Blumenau. A visitação às exposições da 1ª Temporada poderá ser feita até 17 de abril, de terça-feira a domingo, das 10h às 16h. A entrada é gratuita.

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello

Crianças aprendem com obras do Museu de Arte

Os museus da Fundação Cultural de Blumenau desempenham importante papel também na educação infantil. Na 
última quarta-feira, dia 6 de abril, o Museu de Arte de Blumenau (MAB) abriu as portas para receber 19 alunos do CEI Maria Salete Strouch, acompanhados pela professora Alessandra Santos e duas auxiliares. A visita foi agendada com antecedência e teve por objetivo mostrar aos alunos as obras das artistas Sela e Nilva Rossi.


As crianças foram recepcionadas pela equipe do MAB e conduzidas à Sala Especial onde foram estimuladas a apreciar as obras das exposições Mater’s e Mutatis para depois pensar como poderiam ter sido produzidas e com que tipo de material. “Como estão em sala de aula recebendo informações sobre os elementos terra e ar, a mediação foi feita explorando esse aspecto na produção das artistas”, comentou a gerente do museu, Mia Ávila. “Para facilitar o entendimento, foi proposta uma atividade em que as crianças puderam experimentar o efeito do barro diluído em água, que produz a tinta para as pinturas.”

Em grupo, as crianças sentiram nas mãos essa mistura de elementos. Em seguida aproveitaram para utilizar a tinta como carimbo para produzir obras que serão presenteadas às artistas Sela e Nilva, em agradecimento pela oportunidade.

Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello



quinta-feira, 7 de abril de 2016

Crianças autistas revelam talento no MAB

O Museu de Arte de Blumenau (MAB) estabeleceu parceria com o Centro Dynamis para celebrar o Dia Mundial de Conscientização do Autismo (2 de abril). No dia 31 de março,às 19h, está prevista a palestra “Transtorno do espetro autista”, com o especialista no tema Miguel Higuera Cancino, além da abertura da exposição Um Olhar Azul. A taxa de inscrição para a palestra é R$ 10 e a mostra tem entrada franca. A proposta dos organizadores é compartilhar com os visitantes o lado mais luminoso do autismo e apresentar o que estas pessoas diferentes podem ensinar.


A exposição reúne fotografias tiradas por crianças diagnosticadas com autismo em graus moderados e severos. Durante a terapia que capacita as famílias para lidar com as dificuldades e estimula a interação social, as crianças desenvolvem não somente a comunicação e o pensamento, mas também o interesse pela arte e a capacidade de expressar a própria visão do mundo ao seu redor. “Olhando as fotografias, o espectador nem sempre consegue determinar se foram feitas por crianças comuns ou diferentes”, comenta a gerente do MAB, Mia Ávila. “As fotos mostram o que as famílias e terapeutas das crianças com autismo já sabem: que as crianças são capazes de desenvolver muitas habilidades. São capazes de mostrar um mundo diferente e de produzir obras de alto interesse social e artístico.”

Causa biológica

O autismo é um transtorno do desenvolvimento, de causa biológica, que se apresenta com um conjunto de alterações nas áreas da linguagem, comunicação, interação social, interesses restritos e comportamentos repetitivos. “Na atualidade, falamos de Transtornos do Espectro Autista (TEA) o que envolve crianças e pessoas desde o grau mais severo até pessoas com algumas deficiências importantes na interação social e na flexibilidade do comportamento (Síndrome de Asperger), que dificultam a inclusão social e laboral”, comenta Mia Ávila. “Atualmente se considera que pelo menos uma de cada 170 pessoas têm as características que correspondem a um tipo de autismo. Isto implica que no Brasil podemos ter no mínimo cerca de 2 a 3 milhões de pessoas com autismo”.

Alguns signos caracterizam o autismo: não mantém contato visual, resistente ao contato, hiperatividade, resistente ao aprendizado, risos e movimentos inapropriados, às vezes agressivo e destrutivo, não demonstra medo de perigos, gira objetos de maneira peculiar, não se mistura com outras crianças, comportamento indiferente e arredio, age como se fosse surdo. Estas características podem se apresentar de diversas formas e com distinto grau de severidade. Em casos mais leves, o diagnostico é mais tardio quando a pessoa começa a ter dificuldades importantes de compreensão social, interação ou motivação para estudar ou interagir.

O termo de espectro autista faz referencia ao fato de que o transtorno se apresenta em formas e graus diferentes, desde os mais severos com crianças que muito cedo têm grandes dificuldades de comunicação, aprendizagem e comportamento, até formas leves, em pessoas com compromisso na esfera dos relacionamentos sociais e da inflexibilidade dos interesses. Neste ultimo grupo é comum encontrar grandes artistas e cientistas.

Serviço:
O que: Exposição Um Olhar Azul

Abertura: 31 de março, às 19h

Onde: Sala 30 da Fundação Cultural de Blumenau (Rua XV de Novembro, 161, Centro)

Quanto: gratuita

Visitação: terça-feira a domingo, até 10 de abril, das 10h às 16h


Assessor de Comunicação: Sérgio Antonello